Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

alfacinha

alfacinha

Fall Report #1- Inspiração

 

"Fashion will take on added stature one day, but try not to be stifled by it. You will learn, as you mature, to swap heels for Stan Smith trainers, minidresses for crisp white shirts. And you will never be one of those people who just roll out of bed."

Victoria Beckman in Vogue UK October 2016

 

Quem me conhece sabe que tenho uma paixão de longa data por moda. Essa paixão foi me transmitida em grande parte pela minha mãe, sendo ela das pessoas em quem mais me inspiro. Se há mestre em “personal styling”, a mestre é a minha mãe.

 

No entanto, nunca explorou profissionalmente esse lado, mas sempre me incutiu um grande sentido de estética e de gosto por roupa. Para mim a moda não é sinónimo de futilidade, antes pelo contrário, a moda pode ser vista como um exercício de expressão de nós próprios, no qual nos apresentamos aos outros através de uma imagem. A moda permite-nos, através apenas de uma imagem, nos situarmos no tempo. Não são só trapos, nem só tendências, assim como a arte é uma forma de manifestar a nossa passagem pela vida. A moda é um dos veículos que nos transporta, através de fotografias, para uma determinada fase da nossa vida. Quais eram os nossos gostos há dez anos atrás? Porque é que estávamos vestidas daquela maneira e não de outra? Estávamos a recuperar de um desgosto de amor ou a experimentar estilos até encontrar o nosso? Porque a moda é entre outras coisas a procura incessante por algo que todos os anos renasce, indo buscar ao passado o melhor (ou pior), dando-nos a oportunidade de nos (re)descobrirmos a nós mesmas.

 

Ser mãe é uma nova fase na vida de uma mulher, por isso penso que o nosso roupeiro se deve adaptar a ela. Não tem a ver com ser mais ou menos reveladora, mais discreta ou menos espampanante, mas sim com aquilo que cada uma de nós acha que faz sentido para esta nova etapa. Ser mãe não significa ser menos mulher, antes pelo contrário, ser mãe deve nos impulsionar a gostar ainda mais de nós próprias. Muitas vezes não é fácil recuperar o corpo que se tinha antes, um bebé pequeno exige muito tempo, há dias em que não há paciência para fazer toiletes e há dias em que nos sentimos um caco. No entanto, os motivos que fazem com que pareça fútil nos importarmos com a nossa imagem são exatamente os mesmos pelos quais o devemos fazer, sendo que é muito importante não nos sentirmos um caco. Falando por experiência própria, regra geral quando me arranjo o dia corre-me muito melhor do que quando fico em camisa de noite. Há crises de choro à mesma, há refeições e camas para fazer, cão para passear…A grande diferença é que quando passamos pelo espelho não nos vemos em estado de sítio, e acreditem ou não isso faz uma grande diferença em termos psicológicos. Como todas nós, houve dias em que não me consegui arranjar, sendo que tal não constitui nenhum drama. Contudo, apesar de terem sido muito poucos, nesses dias senti-me muito em baixo. Existem dias em que é mais difícil, mas o esforço inicial que se faz compensa pelo que sentimos depois.  E o bebé? O bebé só tem, a meu a ver, a ganhar com uma mãe que se sente mais feliz, mais bonita, mais mulher. Porque automaticamente se tem mais paciência, o que custa passa com mais facilidade e aquilo que é bom é aproveitado em plenitude. No fim de contas é uma dança, um jogo de equilíbrios, no qual o sorriso da mãe e do bebé andam intrinsecamente ligados.

 

Posto isto, é fundamental um roupeiro que se adapte a estes jogos de cintura e a esta nova fase. Se no verão fui mais ou menos recorrendo a peças leves e simples, no outono/inverno quero compor um roupeiro de verdade, que seja o espelho desta fase. Há vários pontos a ter em conta, sendo que o orçamento é um deles. Como na maior parte dos casos, com um bebé o orçamento para roupa fica um bocadinho mais pequeno, por isso há que comprar de forma inteligente e aproveitar/adaptar/reinventar aquilo que tenho no roupeiro. É aqui que entra em campo a imaginação e a criatividade, aquilo que mais gosto na moda.

 

Como não podia deixar de ser, vou partilhar a evolução e nova organização do meu roupeiro, conjuntos e a inspiração para ambos. Hoje deixo-vos algumas imagens que estão a servir de inspiração para a construção do meu guarda-roupa da próxima estação.

 

              74388e76107a2a9ab259f59ef8056342.jpg                 

74388e76107a2a9ab259f59ef8056342.jpg

0f2654fcf673bbfb52645d5c02e5849f.jpg

400582fed9cc05bc610eebc701903298.jpg

 71f0b0f3819dd1a49989d80c1b6cb669.jpg

465d9073f21250cdbbd4d9c5d9368dc4.jpg

d1c42205c6288f74a157ec91a184e5d6.jpg

7c579938fe8199865692fa689dbcdb61.jpg

 As imagens presentes no post foram retiradas do pinterest, que para quem ainda não utiliza é uma das melhores invenções de sempre e uma fonte de inspiração constante.

 

Como de costume podem sempre seguir as nossas aventuras no instagram e no facebook.